quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Da idealização, pra completa realização....

Essa idealização tem nome: Nankin Pb do Emporium dos Cães.

Sim...
E o que antes era idealização, chegou a mim, e nos primeiros dias se mostrou ser a perfeição do que eu queria em um cão.
E simmm... estou falando do meu cachorro. Tem gente que falaria (ou deve falar...) "Meu Deus, como ela bajula esse dog!! Que exagero!!".. E eu te digo: Não é exagero! O que eu digo é que, qualquer pessoa que tenha um cachorro, sabe a sensação que eu tenho. Cada um sabe, que tem em mãos o cachorro perfeito, a idealização do que sempre quis um dia. Porque cada cachorro é diferente pra cada dono, e é exatamente aquilo que a pessoa queria, ou mais. É sempre assim. É só sair na rua, e ir perguntando. As pessoas podem dizer: "Meu cachorro é isso...meu cachorro é aquilo...meu cachorro apronta...". Mas no fim, todas vão dizer: "De qualquer maneira, é o melhor cachorro do mundo." E realmente praquela pessoa, é. Indiferente do que os outros acham.

Pra mim, o Nankin é simplesmente perfeito.

E porque eu estou dizendo tudo isso? Pra dar inicio à minha homenagem de 1 ano pra esse Border Collie maluco. Pra tentar passar um pouquinho o que eu estou sentindo...
Já contei a minha história com os cães...principalmente no post sobre a foto que eu mais amo no mundo..Já mostrei, ou tentei mostrar, que não foi a coisa mais fácil do mundo... Já contei sobre o medo que eu tinha, em ter cães, e sobre ter mais de um...
Hanna e Festa. As primeiras.
Agora eu só venho contar a história do cachorro que mudou a minha vida, e que me levou a escrever todos esses posts...A história de apenas um ano. Mas que valeu pra minha vida inteira.
Não se perguntem sobre o Otto. Sobre a Donna. Cada um deles tem uma história diferente comigo, e transformaram minha vida de um jeito. É aquele amor de mãe. Amo todos eles, do mesmo jeito. Daqui a menos de um mês, é aniversário de um ano do Otto. E vocês vão ler toda essa ladainha de novo, mas de um jeito diferente.
O Nankin só tem um toque especial. E vocês vão entender o porque.

Chelsea. A que fez eu me apaixonar.
Eu lembro bem, quando comecei a conhecer a raça. Fazia curso na antiga Dogz em Campinas, onde tive meu primeiro contato com a Camila Sakavicius, e a Ana Paula Ambrozini... E apesar de ter ido para o curso, para conhecer basicamente o adestramento (senta, fica, deita, e problemas comportamentais), de quebra, aprendi algumas coisas sobre o agility, e ajudava e acompanhava nas aulas dos cães de lá. Era extremamente divertido, mas de fato, os borders que lá treinavam sempre se saiam absurdamente bem. Não sabia nada da raça. Só que eram extremamente inteligentes, e eu mesma queria poder conhecê-los mesmo, pela fama. Apesar disso, JAMAIS pensava em ter um. Sempre amei os retrievers, o jeito deles, então, não ligava muito para os borders. Confesso que eles me assustavam. Aquele corre corre, aquela energia. Eu via eles ficando malucos, latindo no portãozinho enquanto outros cães saltavam, faziam passarela. Ficava abismada com a facilidade com que aprendiam truques. A velocidade e alegria com que faziam agility. E aquilo foi me fazendo pensar cada vez mais neles. Minhas primeiras paixões, bem como são as primeiras paixões de suas donas, foram Festa, Hanna, e Ice. Era mágico vê-las trabalhando. Comecei a perguntar mais, ler mais, procurar canis... Conhecer as cores. Então um dia, vi uma foto de uma cadelinha, e eu acredito que a dona dela vai se surpreender com isso. Estava começando a conhecer as cores, e vi a foto de uma cadela Red Merle, que além de linda, era linda em pista, e tudo mais. Era a Chelsea da Gabi! Pronto. A medida que a Camila falava que um dia eu deveria ter um Border Collie, pra treinar, minha paixão por red merles foi crescendo, crescendo. Até que um dia eu resolvi: Vou ter um.
Pois é. Red Merle.
Milka. Sempre fantástica.
O tempo foi passando... Veio a dona Milka... (Mãe do Nankin). Paixão a primeira vista. Depois veio a maluca da Gaya, e o curso de pastoreio. As primeiras ninhadas da Cá. Um Border Collie de cara preta, nenem, que me fez pirar: Faustino do Emporium dos Cães (Ceni, de propriedade da Lis), e cresceu virando um Border Collie lindo! Eles deram origem as outras paixões: Borders piratas e caras pretas.
Pois é, minha paixão nunca foi aquela simetria que todos procuram em borders.
Eu sempre perguntava pra Cá, pra Ana, pro Fe: "Será que eu vou dar conta de ter um?"
E a resposta era sempre: "Sim. Mas você só vai saber tentando."
Então, a decisão: Perto de entrar na faculdade, ou nos primeiros anos, vou ter um border collie. E ai começaram as especulações, os estudos daqui, as perguntas pra Cá dali.
Primeira ninhada da Milka. E nasceram o que? Red Merles, marrons, e uma pirata LINDA!
Hoje, essa pirata linda, é nada mais nada menos que a Laka, da Fe Lesnau de Curitiba, que eu tive o prazer de conhecer melhor esses tempos. Amei! Ambas!
Ceni bebezão...lindo!
Ceni já grandão! Maravilhoso!

Um dos red merles, o gigantão foi pra um grande amigo, que há tempos não converso, e quem gosto MUITO, e quem teve um dos principais papéis pra eu ter o Nankin, é o Jack, do Felipe!!
Outro red merle, lindooo, fofooo demais, é o Johnnie da Ca Junqueira! Que esteve num dos momentos mais especiais do Nankin! Na 1º exposição de beleza! E ela deu uma força danada!!!
Laka
Jack

Johnnie
Pois é. Foi um tempo de tensão aquele. Estava no cursinho. Era complicado. Bom...deixei passar. E apesar de na época ter me arrependido muito, hoje eu sei que valeu a pena ter esperado mais um pouco. Até porque os cães foram pra pessoas maravilhosas, e são cães fantásticos. É o que eu disse lá no começo, cada pessoa tem um cachorro certo pra si.
Passou o tempo. Fui fazer estágio com a Cá, e na primeira semana a noticia: Milka estava prenhe, de novo.
A foto que fez os "sininhos" tocarem...
Eu tinha decidido, ou ter um filhote da Milka, ou da Gaya. Eram as fêmeas que eu mais adorava, que pra mim tinham O temperamento. E lindas. Completamente lindas. A questão era: Não iriam nascer red merles nessa ninhada. E agora?
Gente. Se eu disser que a dúvida tirou MESMO meu sono, vocês acreditam? Tirou. E não só um dia. O Felipe, e a Camila, elogiavam muito a ninhada. Os cãezinhos que dariam. E lá estamos nós, correndo pra lá e pra cá, nos clientes da Cá, e ela recebe a ligação de que a Milka estava tendo os nenens. Corre!
Tem coisa que é estranha. Mas, não parece destino? Eu assistir, e auxiliar, justo na ninhada da Milka? Justo NESSA ninhada?! Pois é...aqueles porquinhos-da-india nasceram. Um mais lindo que o outro. Tinha um tricolor que era minha paixão, que hoje é o Uno da Luiza! Lindo! Esperto! Espoleta! Tinha um, de marcação lindaaaaa...era o Nill. Marcação perfeita. O Nitro, a Nega Fulô... Enfim...todos, maravilhosos. E tinha um serzinho... de cara preta, e um estranho, bizarro, esquisito batom branco. Vai entender. Eu falava pra Cá: Poxa, não nasceu nenhum cara branca... Poxa, nenhum cara preta (inteira). E assim foi passando o tempo, e a Cá, o Fe, perguntavam: E ai!? Que que você acha? Decidiu se vai querer um filhote dessa ninhada??
E enquanto isso eu ia acompanhando. Todos eram malucos...malucos mesmo...Loucos por brinquedos, loucos por comida. Nem sabia se eu ia mesmo fazer agility, nem nada, então a escolha era pra pet mesmo. A idéia era ter um border collie. E aquela bola de pelo, que foi ficando cada vez, mais e mais peluda... Que na hora da comida, ia lá no prato, pegava um teco, levava na boca até um canto, e comia todo faceiro, longe dos outros. Dormia sempre longe...Nunca foi de curtir muito ficar junto, muito toque... Era ele, e ponto. Bom...ele foi me cativando...Pela sua expressão, pelos seus olhinhos redondos (que eu amo Cá, não adianta hauhauah)...
E quando eu voltei pra Botucatu, dona Camila divulgou as fotos dos nenens. Aquela bola, de cara preta e batom branco me tirou o chão, o sono. Eu comecei a chorar de alegria na frente do computador na hora que eu vi, e eu até queria falar que foi exagero, mas não foi. Perguntava pra todo mundo, o que achavam dele. Mostrava as fotos pra todo mundo. Era aquele mesmo. Meu cara preta, nasceu.  E o nome veio na hora: Nankin. O porque? Porque parecia que tinham jogado uma lata de tinta na cabeça dele. E por sorte mesmo, a ninhada era de letra N. Tudo parecia destino.
Sempre sério!
E essa bolota negra, veio pra mim com 3 meses e meio praticamente. Já bem grande, que foi quando pude ir buscá-lo. Confesso que assustei com o tamanho, mas sempre quis um border grande mesmo. E vamos que vamos.
Os meses foram passando.
Nem sempre tãooo sério.
Os eternos companheiros...
Eu lembro do meu desespero de quando ele deitava, e não adiantava eu pular bananeira na frente dele, ele não vinha pra mim. Ficava deitado, com uma cara de interrogação. A hora da comida, sempre atrapalhada, ohhhhhh cachorrinho dificil de comer. Mas maluco. Espoleta,  irritante até. Tudo. TUDO que ele via pelo chão, ele trazia pra você pra você jogar, ou fazer cabo de guerra. Virou o companheiro pra todas as horas. Ia comigo pra todos os lugares, virou o parceiro de viagem, o parceiro de noites de estudos. O parceiro de brinquedo. Virou aquele cachorro sensível, que me ajudou a ser uma pessoa mais calma, pois toda vez que eu ficava irritada, ou triste, ele ia pra um canto, e se encolhia... Ver ele daquele jeito era a pior coisa do mundo... E eu fui parando, ficando mais tranquila. Como disse no outro post, coisas que anteriormente me magoavam, agora com ele do lado, já não magoavam mais...Coisas que eu ouvia, ou "levava" das pessoas, já não me deixavam mais triste, porque era chegar em casa, aqueles olhinhos redondos (sim, eles continuaram redondinhos parecendo duas jabuticabas hauhauah) vinham correndo, brincar, lamber, pular, demonstrando que pra ele eu era a melhor pessoa do mundo. Minha vida virou ele. E falem o que for. Essa vida eu não troco por nada. Tudo que ele me deu nesse 1 ano, nada nem ninguém pode me dar igual. Ele me ensinou a ter paciência, a persistir. Se mostrou ser um cachorro completo. No dia que ele pastoreou a primeira vez, ver ele correndo feito um louco, mostrando que o instinto estava ali, me arrepiou. Porque, por mais que a gente saiba que o Border Collie, é feito pra isso, ver o nosso fazendo, é sempre uma coisa inacreditável. Sobre o agility. Eu nem consigo falar muito. Que ele era maluco, eu já imaginava. Mas que ele fosse virar a maquininha que ele é hoje, eu confesso que foi um "susto". O jeito que ele corria, o jeito que ele fazia os trajetos, e como ele foi me "deixando pra trás" no aprendizado, me deixou alerta. Ele queria fazer aquilo. E bingo. Agility virou minha obsessão. Nossa obsessão. Eu treinava as vezes na pracinha perto de casa, nos bancos, nas árvores. Não sei explicar a sensação, de quando eu tirava a coleira dele, e deixava ele correr pra pracinha, e ele saia correndo e pulava em cima do banco, e ficava ligado, de boca fechada, me fitando, esperando um ok pra sair correndo. Ele era, e é louco por isso. Era incrível. É incrivel. As bolinhas incasáveis, que levou as meninas da minha república a esconder algumas vezes os brinquedos, porque ele simplesmente não parava. Os passeios, as risadas. Os tombos que ele levava, e saia todo mongolão com uma cara de "Não aconteceu nada, não aconteceu nada!". O homenzinho que ele foi virando. O pelo que foi trocando, e agora tá esse urso lindo.
Foi campeão Filhote de Beleza, mostrando que ele "também pode"... E logo vai pras pistas de novo...
Foi radiografado para Cotovelos, e foi diagnosticado como normal.
Foi radiografado pra Displasia Coxo-femural e teve resultado HD(+/-) B. Claro que nóia do jeito que eu sou, tomei um susto. É aquele perfeccionismo bobo que a gente tem de vez em quando, querendo sempre o melhor. Mas saber que o meu cão nunca vai ter sinais de displasia, nem sofrer com isso, ganhou de qualquer A que ele poderia ter tido. Ser o que ele é, ganhou disso tudo.
O Nankin pra mim, é o border collie perfeito. Era exatamente, sem tirar nem por, tudo o que eu esperava de um cão dessa raça. É esperto, e feliz, sem ser bobão (tipo Otto sabe?)... É lindo, peludo, e gigante, sem ser pesado... É maluco, retardado, com um bom drive, sem ser desfocado...É meu lindo, meu tesão, meu cachorro, meu companheiro, minha paixão.
É a minha razão, e a minha saudade.
E passar o aniversário de um ano dele, longe. Não foi fácil.  Mas tive bons motivos, e foi pra gente. Tenho certeza que o aniversário dele foi muito gostoso, com a cachorrada dele, e com o irmão bobão dele do lado.
Eu só tenho a agradecer, por ele ter me "salvado". Por tirar de mim, as melhores qualidades. Por me fazer dar pra "alguém" os melhores sentimentos que eu tenho.

E eu sei que vocês, bem como eu, sabem do que eu to falando... Por que ter cães é maravilhoso. Mas ter cães que realmente entendem a gente, e nos fazem pessoas melhores...ah...é inexplicável.

Então, você ai! Dá um mega abraço no seu dog ou cã que tá ai do lado...Já que eu não posso no momento dar no meu.
Enquanto isso, eu fecho a torneirinha daqui, que começou no meio desse post...Tá difícil!
ps.: Isso que dá ser chorona!

Queria agradecer a todo mundo que me fez crer que ter um Border Collie não é impossível... E principalmenete a dona Camila, por me dar esse presentão, ao qual terei gratidão eterna!!! Brigada!!!!!!!
ps.²: Tudo bem se eu chorar Cá?! auahuaha
Tudo.

Beijos gentem!!!
E beijo APERTADO no meu gigante peludo!!!! Prometo que de aniversário puxo um cabo de guerra de 3 horas com você! ahuahuahauhauha

O vídeo, eu posto amanhã... ;)

12 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Lau, eu simplesmente AMEI esse post do Kin... ficou LINDO... e obrigada por ter falado de mim e do Johnnie, espero um dia passar um fds em Cps lá na Cá pra vc conhecê-lo... e ver q a maluquice é de família kkkkkkkk... Ahhh e não é só vc q é chorona não, pq só de ler seu post eu chorei hauhauaha... PARABÉNS pro Kin, esse maluco perfeito... Bjosss

    ResponderExcluir
  3. Nossa Rê... arrepiei... Fiquei muito emocionada! Muito muito muito lindo esse post! Em algumas linhas eu ateh conseguia ver o meu sentimento se misturando com o seu pelo Puruca.. Incrível o que eles fazem por nós!
    Tinha que ser ele, Rê.. Não tinha como ser outro! :) O Kin eh um presente, e nada nunca vai mudar isso! Amo vocês!!

    Parabéns pro bola de pelo mais lindo e com os olhos mais expressivos do mundo!

    Bigol

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto, totalmente emocionante! :) Sei bem como é, um carinha marrom caiu na minha vida dessa forma! Não tem coisa melhor!

    E eu também sou louca por marcações alternativas! *_* Ou muito fechadas, ou muito abertas! :D

    Um grande abraço no Texuguinho! Muita alegria para vocês! :)

    ResponderExcluir
  5. Aaaahhhhhhh! cala a boca Laura!!!! hahahah Putz, me fez chorar esse seu post!! LINDO, LINDO, LINDO!
    Parabéns por ter esse cão fantastico!! Você e ele se merecem muito!
    Beijos e, no que precisar, estamos aí =)

    ResponderExcluir
  6. Ai, Lauraaaaaaa!!!!! Só vc msm!!!
    Abraçei a Hanna pelo Nankin e ela lambeu minhas orelhas!
    Sei bem o q vc disse, pq a Hanna mudou minha vida tb! Não tem jeito: BC é BC! Só tendo um pra ver!
    MTO lindo post...você sabe o qto gosto desse menino LINDO!!!
    Pra que ter cães "normais" se agente gosta dos doidios!!! Bjosssss

    ResponderExcluir
  7. Lau,
    As vezes fico pensando: como pode uma pessoa escolher ter um cão maluco.... mas ai me lembro que cada pessoa é uma pessoa e que tem personalidade canina que mais de "adequa" a cada uma.

    Fico tão feliz quando vejo vc e a Luiza com os boders que dá vontade de chorar... todo drive que eles têm ....

    é lindo demaisl.

    parabens

    ResponderExcluir
  8. TUDO BEM SE EU CHORAR, LAURA???

    No momento não consigo fazer mais nenhum comentário... depois q eu me "recuperar" eu volto aqui e comento :P

    ResponderExcluir
  9. Lindo demais seu post, inegável que um cão nos faz pessoas melhores, apenas pessoas que tem o cão perfeito sabem disso... todos deviam encontrar seu cão perfeito um dia e viver isso que sabemos tão bem... parabens!

    ResponderExcluir
  10. parabéns pelo post muito lindo.

    é incrível dizer mas a minha paixão por BC também começou pela chelsea.

    parabéns pro nankin.

    ResponderExcluir
  11. Tudo bem se eu chorar (MUITO), Laura??
    Putz, chorei, chorei, chorei... Realmente, tomei um susto! Não sabia dessa parte da Chel... Essa minha baixinha, sempre me surpreendendo! Fiquei muito feliz com isso! Afinal vc se tornou mais uma SUPER dona de Border, de um SUPER border!! Pode esperar, porque o Nankin ainda vai mudar a sua vida, muito mais do que vc imagina. Eles são incriveis! A Chel, como a minha 1a border, teve esse papel... E agora que estou longe dela a qse 2 meses... Ler isso me desabou. Saudade da minha branquela!
    Mas então.. Parabéns pra esse rapaz lindo e super especial! Muitos e muitos anos de vida!
    Beeijo!

    ResponderExcluir
  12. Santo deus Lau, até eu chorei lendo isso *-*
    Liiiiiinda essa história, lindo o jeito que você fala dele. Tudo é lindo.
    Faz a gente pensar em tudo :)

    Parabéns pro seu bebezão. Porque é isso que ele vai ser pra sempre;

    ResponderExcluir